Bruno Linhares

Um blog sobre Comunicação, Marketing, Filosofia e Cultura

Archive for the ‘Certificação Digital’ Category

Certificação Digital e o Código da Internet

leave a comment »

A internet está em plena ebulição – uma das mudanças mais importantes é a ampliação da Certificação Digital, garantindo a identificação dos entes que se comunicam através desta. A essas novas exigências se contrapõe hábitos arraigados e uma cultura proveniente da primeira fase da web. Este artigo busca discutir essas contradições, sua origem e formas de superá-las.

 

Segundo Clotaire Rapaille, antropólogo francês especializado em comportamento do consumidor, o “Código da Internet” é a “Mentira”. O pesquisador traz em seu método o estudo do que ele considera o “Inconsciente Cultural”, povoado por arquétipos que constroem a Cultura de um povo. A identificação desses arquétipos e o estudo dos seus “códigos” propiciariam maior compreensão sobre reação das pessoas e as emoções associadas a determinadas vivências, objetos e imagens, inclusive hábitos de consumo e a relação entre os consumidores e as marcas.

De fato, no caso específico da internet, existem inúmeros exemplos da inexistência de um estrito compromisso com a veracidade, seja de narrativas seja da identidade dos usuários. Inúmeras situações de simulação e de falseamento convivem com uma rigorosa noção de liberdade individual, compondo um espaço “libertário”, no qual tudo, ou quase tudo, é válido em termos de comunicação. Faz parte dessa cultura o uso de pseudônimos e o respeito ao anonimato, dentro do amplo guarda-chuva da liberdade de expressão.

Por outro lado, a disseminação da internet pela sociedade e a proliferação de aplicações profissionais, seja na esfera dos negócios seja como ferramenta de políticas públicas e de regulação social, cria um contraponto a situação presente – é necessário garantir a identidade e a veracidade das informações dos entes que se comunicam. Daí a relevância da Certificação Digital para que sigamos usufruindo dos benefícios econômicos, sociais e políticos da desmaterialização de processos e da redução da burocracia, conseqüências diretas do aprofundamento do uso da internet.

As contradições existentes entre o uso da web para o entretenimento e relações sociais e as suas novas funções dentro do aparato produtivo e da superestrutura legal são, na minha opinião, totalmente naturais e esperadas no processo de amadurecimento da internet. Mas não devemos subestimar as resistências que iremos encontrar para ampliar a certificação para além do que pode ser obtido por exigências legais. Mesmo que não se concorde totalmente com as conclusões de Rapaille, me parece claro que barreiras culturais devem ser vencidas e os hábitos arraigados de toda uma geração de usuários precisam sofrer ajustes.

Sem perder de vista a importância da garantia da plena liberdade de expressão e do caráter completamente voluntário da certificação para o uso fora da esfera profissional e institucional, os envolvidos na disseminação da Certificação Digital devem realizar um esforço de envolvimento dos usuários e da sociedade, permitindo que conheçam as vantagens e compartilhem dos valores deste novo processo. Como toda Revolução e com uma História tão recente, o fenômeno da internet ainda está em plena ebulição – muitas e emocionantes mudanças vão continuar acontecendo. Mas os contornos do futuro dependem também do que realizarmos agora.

 

Written by brunolinhares

Janeiro 17, 2011 at 1:47 pm

A Certificação Digital e o Desenvolvimento Social

leave a comment »

A Certificação Digital e o Desenvolvimento SocialJá é conhecido o impacto positivo da ampliação certificação digital sobre os custos empresariais. A redução das despesas das empresas está ligada à desmaterialização de processos e a eliminação da burocracia legal, efeitos diretos da utilização desta nova tecnologia e da internet em larga escala.

O Brasil, um dos países em que o processo de certificação é profundamente original quanto à velocidade e amplitude de sua adoção, está construindo um ciclo virtuoso, a partir do qual a competitividade de nossa economia e das nossas empresas aumenta na medida em que outros setores venham a aderir a essas práticas que vão crescentemente se universalizando e potencializando os benefícios econômicos para o conjunto das cadeias produtivas.

O que pouco se discute são os outros benefícios da certificação, aqueles que afetam positivamente segmentos sociais mais amplos do que o empresariado. De maneira geral, a simplificação dos processos sempre esteve relacionada à redução da mão de obra empregada. Desta fonte vem boa parte da redução dos custos. O que cria um efeito dúbio – se por um lado o excedente significa melhores condições para concorrer no mercado global, com suas implicações na renda do conjunto da população, por outro os efeitos sociais para o mundo do Trabalho são os conhecidos.

Se esta foi a ênfase das transformações tecnológicas da década de 1990, atualmente o efeito da adoção de novas tecnologias, em particular a certificação, tem efeitos benéficos para a base da pirâmide social. Um dos primeiros efeitos positivos vem da corajosa postura da Receita Federal Brasileira, ponta de lança na adoção da certificação pela sociedade. Esta estratégia, combinada com um inédito esforço de fiscalização, reduziu significativamente a sonegação, provendo o Estado de recursos a serem aplicados em Educação, Saúde e outras ações de base, que ajudam a eliminar a miséria e a promover o desenvolvimento social. Recursos que anteriormente eram privada e ilegalmente acumulados hoje se colocam à disposição da sociedade.

As aplicações da certificação digital em Saúde permitem maior transparência nas relações entre as empresas de saúde e os gestores públicos. Isto pode significar uma redução de custos e sua reaplicação de forma a prover melhores condições de atendimento à população. A universalização do uso do prontuário digital promoverá uma verdadeira revolução no atendimento, caso consorciada a construção de uma rede integrada de atendimento. Podemos estar no limiar de outras transformações profundas em termos de Saúde Pública, com o suporte de novas tecnologias e novas práticas de gestão.

Na área do Direito, a morosidade da Justiça é um problema reconhecido por toda a sociedade. A certificação digital pode ser um mecanismo extremamente eficaz para suprir as atuais carências, permitindo uma agilização da tramitação de processos. A redução dos custos da Justiça para os cidadãos e a melhoria das condições de trabalho para advogados, serventuários e magistrados são outros benefícios diretos da adoção em larga escala da certificação e do peticionamento eletrônico.

Do ponto de vista ambiental, a redução do uso de toneladas e toneladas de papel, tinta e outros insumos que são substituídos por informações em dispositivos eletrônicos é o grande trunfo obtido a partir da certificação e do uso da internet como mecanismo de comunicação e gestão.

Esses são alguns exemplos das grandes vantagens da introdução da tecnologia direcionada ao bem estar social. Sob a direção do ITI – Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, estamos em nosso país seguindo este caminho de unir, também no campo da tecnologia, a melhoria das condições econômicas com o desenvolvimento humano e social.

Written by brunolinhares

Dezembro 27, 2010 at 11:47 pm